Tratamento do Alcoolismo

Além dos prejuízos na vida académica, profissional, social e familiar o abuso de álcool por tempo prolongado pode causar câncer na cavidade oral, esôfago, faringe, fígado e/ou vesícula biliar; hepatite, cirrose, gastrite, úlcera, danos cerebrais, desnutrição, problemas cardíacos, problemas de pressão arterial, além de transtornos psicológicos.

Apesar do abuso do álcool ser um pré-requisito para o que é definido como alcoolismo, o seu mecanismo biológico ainda é incerto. Para a maioria das pessoas, o consumo de álcool gera pouco ou nenhum risco de se tornar um vício. Outros fatores geralmente contribuem para que o uso de álcool se transforme em alcoolismo. Esses fatores podem incluir o ambiente social e cultura, a saúde psicológica e a predisposição genética.

  • Uso recorrente do álcool, resultando em fracasso em cumprir obrigações importantes relativas a seu papel no trabalho, na escola ou em casa; 
  • Uso recorrente do álcool em situações onde há perigo físico;
  • Problemas legais relacionados ao uso do álcool;
  • Uso do álcool, apesar dos problemas sociais ou interpessoais persistentes ou recorrentes causados ou exacerbados pelos efeitos do álcool; 
  • Os critérios nunca satisfizeram os critérios de síndrome de dependência ao álcool.
  • E o prazer imensurável ao comer ... como uma “criança no parque de diversão”.

 

Já o quadro de síndrome de dependência ao álcool é diagnosticado a partir de um padrão mal-adaptativo de uso do álcool, levando a sérios prejuízos ou sofrimento clinicamente significativo, manifestado por pelo menos três dos seguintes fatores: 

  • Evidência de tolerância (necessidade de doses cada vez maiores da droga para obter os mesmos efeitos das doses iniciais); 
  • Síndrome de abstinência (sintomas psicológicos e físicos advindos da parada ou redução abrupta do consumo do álcool); 
  • O álcool é usado em maiores quantidades ou por um período mais longo do que o desejado; 
  • Existe um desejo persistente ou esforço malsucedido no sentido de reduzir ou controlar o uso do álcool;
  • Muito tempo é gasto em atividades necessárias para a obtenção da substância, na sua utilização ou na recuperação dos seus efeitos; 
  • Importantes atividades sociais, ocupacionais ou recreativas são abandonadas em função do uso do álcool; 
  • Uso do álcool continua, apesar da consciência de ter um problema físico ou psicológico persistente ou recorrente.

Estes mesmos critérios podem ser aplicados além do álcool às outras drogas licitas como tabaco,cafeina e os hipnóticos e sedativos e as ilícitas como a cocaína, maconha, opióides, alucinogenos(LSD, Ectasy), anfetamínicos, inalantes.

Compartilhar estas informações no Facebook



Deixe seu comentário:

tags: alcoolismo, tratamento do alcoolismo, vício em álcool